Sustentavel Mente

Porque nossas escolhas podem mudar o mundo!

Não consuma produtos testados em animais! 19/07/2010

 Semana passada, escrevi sobre o projeto BioConsciência do O Boticário. Depois de postar, me ocorreu que faltou uma informação importante: que a marca, desde 2000, não testa seus produtos em animais… Os testes agora são realizados in vitro ou in vivo (ou seja, em seres humanos)!

 Para saber se a sua marca preferida de cosméstico realiza testes em animais ou não confira a tabela abaixo, encontrada no site da revista Atitude Sustentável, da Editora Mundo Geo:

 

Fonte: Revista Atitude Sustentável

 Para ler a matéria da Atitude Sustentável: Confira as marcas de cosméticos que não realizam testes em animais acesse http://migre.me/YjYI e a lista completa sobre quem ainda realiza testes em animais, você encontra no site Projeto Esperança Animal: http://www.pea.org.br/crueldade/testes/lista.htm

Digo e repito sempre:

nossas escolhas podem mudar o mundo!!!

E se deseja saber mais sobre assuntos ligados a sustentabilidade, recomendo a revista!

Anúncios
 

Chuveiro elétrico – vilão ou mocinho? 13/07/2010

  Matéria publicada no Jornal do Consumidor, o informativo semanal da Prefeitura de São José dos Campos n°771 de 04 a 10 de Julho de 2010, sobre o chuveiro elétrico.

 De acordo com a pesquisa do Centro Internacional  de Referência em Reuso da Água (Cirra) e da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP)  o chuveiro elétrico, considerado o grande vilão do banho nosso de cada dia, ainda é o mais econômico quando o assunto é consumo de água, em comparação com as demais opções oferecidas pelo mercado: o solar, à gas e o boiler elétrico.

 O Jornal do Consumidor possui uma versão eletrônica, para ler a matéria na íntegra e em boa qualidade acesse:

 http://www.sjc.sp.gov.br/governo/jconsumidor/downloads/JConsu_771.pdf

 Destaquei a tabela comparativa entre os diferentes tipos de aquecimento da água para um banho de oito minutos:

 

“Homem, cidades e a sustentabilidade possível” 30/06/2010

 Acontece hoje no SESC São José dos Campos o Seminário “Homem, cidades e a sustentabilidade possível” com o objetivo de oferecer um conjunto de reflexões a respeito dos conceitos de sustentabilidade nas metrópoles.

 Após dezoito anos da Conferência das Nações Unidas sobre o meio ambiente, onde chefes de Estado de todo o mundo e representantes da sociedade civil organizada discutiram metas a serem cumpridas numa agenda para o século 21, com a determinação de ações e mudanças de comportamento voltadas à criação de um novo padrão de desenvolvimento capaz de conciliar a eficiência econômica à igualdade e justiça social e à conservação ambiental, questionamo-nos: é possível?

 É possível alterarmos o padrão de consumo das grandes metrópoles? É possível a discussão e a implementação de sistemas comerciais mais justos, onde não só a distribuição monetária seja mais equânime entre os atores e setores da cadeia produtiva mas também haja menor dispêndio de energia para o transporte dos produtos de primeira necessidade – como alimentos e água potável – por exemplo?

 Poderíamos nos deslocar de forma menos poluente? Poderíamos imaginar as cidades como um grande sistema vivo, capaz de produzir a energia necessária para sua autonomia a partir da exploração energética do tratamento de efluentes e dos resíduos orgânicos?

 É possível imaginarmo-nos parte integrante deste grande organismo, com uma maior oferta à cultura, à educação e às práticas para uma autonomia política? Podemos viver de forma sustentável, sendo que hoje não há, no mundo inteiro, nenhum modelo referencial de metrópole ou centro urbano sustentável?

 É possível educarmos as gerações “do futuro” e formarmos cidadãos de forma mais integralizada e holística, como homens críticos, protagonistas e proponentes de mudanças profundas na maneira de se reconhecerem, reconhecerem o outro e o meio onde vivem?

 Esses são alguns questionamentos trazidos à luz da discussão no seminário “Homem, cidades e a sustentabilidade possível”. Profissionais de diferentes áreas do conhecimento conduzirão o diálogo que abordará esses temas tão presentes e urgentes em nosso cotidiano.

 PROGRAMAÇÃO

13h30 – Credenciamento

14h A possibilidade da sustentabilidade na metrópole
           Paula Santoro – Instituo Pólis

15h Políticas públicas de educação e meio ambiente: participação, cidadania e co-responsabilização
           Pedro Jacobi – USP

16h30 – Intervalo
 

17h – Redes de Convivência e Cooperação
           Ana Paula Navarro – Palas Athena

18h – Instituto Pandavas: experiências de uma pedagogia sustentável, holística e inclusiva
           Mara Novello Gerbelli e Nilton Almeida Silva – Instituto Pandavas

19h30 Encerramento

Confira o conteúdo das apresentações e o currículo dos palestrantes no site VNews: http://migre.me/TenN

Sesc: Av. Dr. Adhemar de Barros, 999 – Jd. São Dimas. Para mais informações: (12)3904-2000. Os valores das inscrições variam entre R$ 2,50 e R$ 10,00.

Rumo ao Hexa!

 

Testada e aprovada! 11/06/2010

Escova de dentes ecológica

Foto: Daniela Oliveira

 Ontem comprei uma nova escova de dentes: a Reach ECO Essencial, da Johnson&Jonhson.

  • 40% do material utilizado na sua produção são provenientes da reciclagem pré-consumo.

 Ou seja, as sobras de materiais plásticos da fabricação de outros produtos, que antes iriam para o lixo, agora são usadas para fazer o cabo da escova!

  Para minha surpresa, o preço é acessível e vem sugerido na embalagem: R$ 1, 49. Isso prova que é possível aliar tecnologias verdes a preços baixos!

 Em março deste ano a Johnson&Johnson foi premiada pela URBAM com o selo “São José Recicla” por suas inovações no reaproveitamento de materiais em suas fábricas!

 P.S. – a embalagem já foi encaminhada para a reciclagem e a velha escova será usada para limpar partes díficeis e delicadas de louças e eletrodomésticos!

 Quer saber mais sobre a Reach ECO Essencial, acesse:

 http://www.jnjbrasil.com.br/reach/

 Para saber mais sobre o selo “São josé Recicla“, acesse o post “Reciclagem levada a sério”, de 17/03/10: http://migre.me/NJoS

 

Rumo ao Hexa!

 

Válvulas + econômicas! 13/05/2010

 Você sabia que a descarga é responsável por 14% do consumo de água em uma residência e que 80% dos acionamentos são para escoar líquidos? Sabia também, que as válvulas tradicionais de parede consomem em torno de 30 litros por acionamento e a descarga com caixa acoplada consome 6 litros d’água?

E que economizar ainda mais é possível? Basta trocar as válvulas tradicionais por válvulas mais modernas, que possuam tecnologia de fluxo duplo ou que limitem o fluxo de água!

 As válvulas de fluxo duplo possuem dois botões de acionamento, o menor que despeja 3 litros de água, usado para o escoamento dos líquidos e o maior, usado para escoar os sólidos, que despeja 6 litros de água! Podendo ser colocadas na parede ou nas caixas acopladas.

 Já as válvulas de parede que limitam o fluxo, quando acionadas despejam 6 litros de água e pronto. Elas interropem o fluxo, mesmo que a válvula continue sendo pressionada!

 Por isso, quando for reformar ou construir, opte por válvulas mais econômicas, mesmo que estas sejam mais caras, com certeza, ao longo do tempo o seu bolso sairá ganhando… E você terá dado a sua contribuição para os 2/3 da população mundial que em 2025, enfrentarão a falta d’água, economizando diariamente esse recurso essencial para a manutenção da vida na Terra!

 Tenho uma amiga que optou pela válvula de fluxo duplo para economizar água, quando eu soube, pedi que ela me enviasse algumas fotos:

 

 Obrigada, minha amiga (que pediu para não ser indentificada), por fazer a sua parte para preservar nossa tão preciosa água e por sua contribuição para o blog! ;0) 

  Neste link você encontra alguns modelos e marcas disponíveis no mercado: