Sustentavel Mente

Porque nossas escolhas podem mudar o mundo!

Preciclando até na escolha da ração do seu bichinho de estimação… 26/10/2010

Dica 559 – Economize na ração – Evite os saquinhos com porções individuais para cães e gatos. Essas imitações dos pratos prontos consumidos pelos seres humanos são um desperdício de dinheiro e de embalagens. Compre a ração a granel e deixe os pacotinhos para quando estiver longe de casa.

Dica do livro: 1001 Maneiras de Salvar o Planeta – Idéias práticas para tornar o mundo melhor, de Joanna Yarrow, PUBLIFOLHA, 2007.

***

Prestar atenção à quantidade de embalagem de um produto e refletir sobre a necessidade de tanto plástico e alumínio que serão transformados em lixo assim que o produto for aberto, optando ou não, por levá-lo para casa é praticar a preciclagem.

Caso você não saiba ou não se lembre o que é preciclar, sugiro uma visita a um dos primeiros posts do blog – Preci – O Quê???, de 12/05/09: “Preciclar é quando o consumidor, no ato da compra, dá preferência a produtos que geram menos resíduos, que sejam orgânicos, biodegradáveis ou recicláveis, enfim cujo impacto ambiental seja reduzido.” http://migre.me/1MCHe

Anúncios
 

Superproteção? 21/10/2010

Pergunta do dia: Porque os convites de casamento vem envoltos em plástico, já que geralmente, são entregues em mãos e correm menos risco de molhar, amassar ou rasgar do que as correspondências comuns?!

Alô, alô noivos: que tal dispensar o plástico do convite e diminuir (um pouco) o impacto ambiental causado pelo seu casório?

Quer fazer ainda mais bonito? Prefira papéis reciclados para confeccioná-los ou então, abuse da tecnologia e envie convites virtuais…

 

Pegada de carbono na embalagem! 05/10/2010

A partir deste ano, alguns produtos da Suzano Papel e Celulose terão impressos nas embalagens o desenho de um pezinho indicando o volume de emissão de CO2 liberado na atmosfera em função da produção, uso e cálculo de descarte por tonelada de cada produto. É a primeira empresa do setor a publicar a chamada “pegada de carbono” em seus produtos.

Iniciativas como estas ajudam o consumidor a conhecer o custo ambiental de suas escolhas e como ele pode contribuir para melhorar a equação estilo de vida x recursos naturais.

Leia mais no Jornal Valor Econômico http://migre.me/1u9fI

Suzano Papel e Celulose http://www.suzano.com.br

 

À meia luz… 30/09/2010

Dica 899 – Iluminação pontual – O cômodo inteiro tem que estar iluminado para que você possa ler um livro num canto? Se a resposta for não, apague as luzes do teto e sente-se ao lado de um abajur. Se os moradores de 1 milhão de lares reduzissem o consumo médio de eletricidade em apenas 60 watts (uma lâmpada incandescente), as emissões de carbono cairiam em cerca de 5 milhões de toneladas por ano.

Dica do livro: 1001 Maneiras de Salvar o Planeta – Idéias práticas para tornar o mundo melhor, de Joanna Yarrow, PUBLIFOLHA, 2007.

***

É claro que é impossível viver com apenas uma lâmpada acesa na casa, mas saiba que ao apagar as luzes dos cômodos vazios ou mesmo diminuir a iluminação (conforme sugere a dica 899) você já está colaborando para a redução das emissões de CO2 na atmosfera.

Outra atitude prática é colocar lâmpadas fluorescentes ao invés das incandescentes em todos os pontos de luz, sua durabilidade e alta eficiência energética garantem economia para seu bolso e a diminuição do impacto ambiental causado pelo seu estilo de vida, por gerar menos resíduos e emitir menos carbono.

Atualmente, já encontram-se disponíveis no mercado diversos tamanhos, modelos e cores…

Quanto ao descarte, lembre-se: as lâmpadas queimadas devem ser entregues em pontos de coleta específicos!

Saiba mais sobre os pontos de coleta, clicando sobre a tag “Reciclagem” que encontra-se no cabeçalho deste post.

 

21 de agosto! 18/08/2010

 O chamado Dia do Excesso ou Earth Overshoot Day é o dia em que todos os recursos naturais que a Terra é capaz de fornecer para o nosso consumo para o ano é esgotado.

 Segundo o cálculo divulgado pela ONG Global Footprint Network (GFN), a capacidade regenerativa da Terra se encerra no próximo sábado 21 de agosto…  Ou seja, a partir desta data teremos consumido nossa cota anul, explorado os recursos do planeta além daquilo que ele consegue produzir, ultrapassado o limite da sustentabilidade planetária.

  Todas as nossas atividades deixam um rastro no planeta e esse rastro não é estático e nem igual para todos os seres. Em relação a nós, seres humanos, os piores predadores dos recursos naturais, o tamanho da pegada depende principalmente do estilo de vida de cada individuo. Quanto maior o  consumo maior a pegada ecológica. Isso é certo. E se os gastos inaquedos são ruim para o bolso, imagine para o planeta.

 O orçamento ecológico é como todo orçamento anual, limitado e uma vez que esse limite é extrapolado em agosto, um grande problema é gerado: como cobrir as despesas até o fim  do ano?!

 Se houvesse outro planeta habitável e rico como o nosso, estaríamos nos mudando para lá este fim de semana, para que a Terra pudesse regenerar seus recursos, a fim de estar com toda a sua capacidade produtiva em 2011…

 Tal planeta não existe e não podemos, simplesmente, parar de consumir, então vamos continuar por aqui (enquanto for possível), vivendo nossas vidas e explorando nossa Mãe Terra até sua exaustão, consumindo mais de um planeta por ano, como já fazemos há muito tempo?

 Ou iremos escolher outro futuro? Um futuro sustentável em que o consumo humano respeite os limites do planeta? Eu opto pela segunda opção e a diminuição do consumo é o caminho!

Pense nisso!

 Calcule a sua pegada ecológica e saiba quantos planetas seu estilo de vida consome: http://www.pegadaecologica.org.br/

Este texto foi inspirado na matéria publicada ontem no site Ciclo Vivo, acesse o link para saber mais: http://migre.me/15FcR